Perfil

A senadora Simone Tebet(PMDB-MS)  está entre os protagonistas do Congresso Nacional, segundo o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Ela tomou posse no Senado em 2015. Antes, havia sido vice-governadora, prefeita por duas vezes e deputada estadual. Com percepção da realidade nacional e conhecimento jurídico, Simone demonstrou aos colegas no Parlamento sua capacidade de oradora, ao fazer a ponderações fundamentada nos mais diversificados debates por meio de discursos da tribuna do Senado e de intervenções nas comissões. Chamou atenção também pelo critério técnico em relação à discussão e aprovação das normas no Congresso Nacional.

Sua atuação, com real influência nos processos decisórios, a incluíram na lista dos “Cabeças do Congresso” 2017, elaborada pelo Diap, na categoria “formuladora”. Os “Cabeças” são aqueles que conseguem se diferenciar dos demais pelo protagonismo no processo legislativo, pela capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações de ideias, liderando a repercussão e tomada de decisão. Em 2016, Simone Tebet havia sido classificada como parlamentar em ascensão.

Simone foi vice-presidente da Comissão Especial para analisar o Pacto Federativo. Também foi, no primeiro biênio do seu mandato, presidente da Comissão Permanente Mista de Combate à violência contra a mulher. Atualmente ela é membro titular das Comissões de Constituição e Justiça, Comissão de Assuntos Econômicos e da Comissão de Educação, além de integrar várias comissões mistas de Medidas Provisórias, entre elas, a do Funrural. A senadora sul-mato-grossense ainda é vice-líder do PMDB no Senado.

Nos pouco mais de dois anos e meio de mandato, Simone Tebet elaborou 153 relatórios a proposições legislativas (Projetos de Lei, Propostas de Emenda Constitucional, Medidas Provisórias e Ofícios). É autora de projetos como o que reduz o limite de comprometimento de receitas dos Estados, Distrito Federal e Municípios com o pagamento dos encargos da dívida junto à União; do projeto que permite ao juiz aplicar multa ao governo ou empresa privada que administra presídio em caso de desvio ou excesso; e do projeto que tipifica os crimes de subtração e receptação de derivados de petróleo de dutos de movimentação de combustíveis. Também por sua iniciativa, o Senado criou o Observatório da Mulher contra a Violência. Ao todo, apresentou 52 proposições, entre projetos de lei, projetos de resolução, PEC e requerimentos.

Quem é Simone Tebet?

Nascida na cidade de Três Lagoas (MS) em 22 de fevereiro de 1970, Simone Nassar Tebet é a primogênita do casal Ramez e Fairte.
De descendência libanesa, Simone teve uma infância como a maioria das crianças sul-mato-grossenses. Cercada de natureza, subindo em árvores e na companhia de uma grande família, primos e avós que viviam na mesma cidade. Seus irmãos são: a médica Eduarda, e os gêmeos Rames e Rodrigo.
Desde cedo, Simone demonstrou afinidade com o pai, o político Ramez Tebet, considerado um dos maiores homens públicos do Mato Grosso do Sul. Cursou Faculdade de Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, a mesma instituição que formou Ramez Tebet décadas antes.
É especialista em Ciências do Direito, pela Escola Superior de Magistratura. É mestra em Direito Público, pela Pontífice Universidade Católica de São Paulo.

Foi professora universitária de Direito Administrativo por 12 anos, profissão que considera sua grande paixão. Trabalhou como Consultora técnica jurídica na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, onde chegou ao cargo de Diretora técnica legislativa da instituição.
Depois foi deputada estadual, prefeita de Três Lagoas, por duas vezes, vice-governadora, e agora exerce o mandato de senadora da República pelo PMDB-MS.

É casada com o deputado estadual e economista Eduardo Rocha, com quem tem duas filhas adolescentes, Maria Fernanda e Maria Eduarda.