Simone fica em Brasília para participar de reunião de líderes em busca de saídas para a paralisação dos caminhoneiros

A Senadora Simone Tebet, líder do MDB no Senado, cancelou seu retorno a Campo Grande nesta quinta-feira para participar da reunião de líderes convocada para às 19h pelo Presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Pela manhã, ela criticou a decisão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de colocar em votação a proposta que isenta até o final do ano a cobrança de PIS-Cofins incidente sobre o diesel. “Acho que houve precipitação da Câmara no afã de resolver as coisas. Temos que achar alternativas de forma rápida, mas não podemos deixar de nos preocupar com o equilíbrio fiscal”, disse a senadora em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo. O projeto pode gerar um rombo nas contas públicas e teria de deixar claro de onde sairia o dinheiro para não desrespeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Simone lamenta o “radicalismo de todos os lados”, que tem dificultado o consenso para acabar com a paralisação. A senadora também defende a mudança no modelo de reajuste diário dos combustíveis.

O governo tem tentado negociar alternativas para reduzir o preço do diesel. Já se comprometeu a zerar a Cide e a Petrobras anunciou a redução de 10%, por 15 dias, no preço do diesel nas refinarias. A estimativa é que a redução no valor do combustível chegue a R$ 0,25 nas bombas. O pedido de trégua na paralisação não foi aceito pelos caminhoneiros.

Caminhoneiros fazem paralisações em todo o País desde segunda-feira. O movimento afeta o abastecimento em supermercados, postos de combustíveis, reduz a circulação de ônibus em grandes centros. Em Mato Grosso do Sul, 60% das indústrias paralisaram a produção nos últimos dias, segundo a Fiems.