Por iniciativa de Simone Tebet, governadores apresentam Consórcio Brasil Central no Senado

 

Os governadores dos seis estados que compõem o Consórcio Brasil Central participaram de reunião na Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado para apresentar os objetivos do grupo e falar sobre as alternativas para o Brasil sair da crise. A reunião aconteceu nesta quarta-feira (11) por iniciativa da senadora Simone Tebet (PMDB-MS).

Simone ressaltou a importância da formação do bloco econômico para reivindicar recursos junto à União para desenvolver projetos, como por exemplo, os de infraestrutura logística, além de ajudar a promover o desenvolvimento e a geração de emprego e renda. Os seis estados abrangem 25% do território brasileiro e 20 milhões de brasileiros. O PIB do bloco representa 11,2% da riqueza nacional. “A união de esforços facilita as tratativas com o Governo Federal. Dizer não a um estado é fácil. Difícil é dizer não a seis estados, 18 senadores, 57 deputados federais. Quero ver quem terá coragem de dizer não aos responsáveis por boa parte da produção agropecuária do País”, disse a parlamentar sul-mato-grossense. Simone defendeu a aprovação do Plano Nacional de Desenvolvimento Regional, que tramita no Senado.

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, destacou a importância do apoio do Senado ao consórcio que reúne os estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rondônia e o Distrito Federal.

Azambuja destacou como fundamental criar uma política regional em torno da melhoria da infraestrutura logística. Também defendeu a priorização da questão sanitária. Ele ressaltou a contribuição do agronegócio no fortalecimento da balança comercial e lamentou que a questão sanitária pode ser uma barreira ao ingresso no mercado internacional. Azambuja também manifestou preocupação para que a reforma do ICMS não prejudique os estados.

O presidente do Consórcio Brasil Central, governador Marconi Perillo (GO), disse que entre as prioridades estão os setores da agropecuária, industrialização, educação, empreendedorismo, inovação em ciência e tecnologia e a competitividade regional.

Ousadia
O ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Magabeira Unger, um dos idealizadores e incentivador do movimento Brasil Central, esteve na reunião. Ele disse que a política regional deve ser construída de baixo para cima, das regiões para a União, e não o contrário. Elogiou a iniciativa dos governadores afirmando que eles têm a “ousadia para fazer o diferencial”.

O governador Rodrigo Rollemberg (DF), citou o turismo como uma forma de impulsionar o crescimento da região. Comentou das necessidades de melhorar a infraestrutura logística e rodovias e ferrovias e da capacidade energética. O governador Confúcio Moura (RO) disse que a intenção do movimento é criar um pato do desenvolvimento e do progresso do Brasil. Ele criticou a crise política e disse que o consórcio foi criado por ausência de lideranças para apontar alternativas a fim de impulsionar a economia neste momento difícil. O governador Marcelo Miranda (TO) destacou o potencial da região que é responsável por 26% da produção do Brasil.

Presidente do Senado
Após a reunião da Comissão de Desenvolvimento Regional, os governadores e parlamentares reuniram-se com Renan Calheiros na Presidência do Senado.