“MDB marcha unido na disputa pela presidência do Senado”, diz Simone Tebet

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senadora Simone Tebet (MDB-MS), anunciou para a bancada de seu partido que é candidata à presidência do Senado. Em reunião de bancada, nesta quarta-feira (16), os senadores decidiram que vão lançar candidato único à sucessão do Senado.

Segundo Simone, o próximo passo será conversar com os outros partidos para ver qual dos postulantes ao cargo dentro do MDB têm mais chances de vencer. Além de Simone, os senadores Eduardo Braga (líder do partido no Senado), Eduardo Gomes (líder do Governo no Congresso) e Fernando Bezerra (líder do Governo no Senado) já tiveram seus nomes citados.

 “Diferentemente do passado, o MDB não vai rachar e marcha unido na disputa pela presidência. É agora que o jogo começa, mas é certo que não seria candidata se não tivesse tido conversas com outros parlamentares.  O MDB hoje tem consciência de que o adversário não está dentro do partido e precisa buscar os votos fora”, disse Simone.

Nota da bancada destaca a unidade. A bancada reafirma o compromisso com a agenda de reformas estruturais, com a responsabilidade fiscal e com um amplo programa de vacinação contra covid-19 em 2021. “O momento exige bom senso e maturidade política”, diz a nota reforçando a necessidade de diálogo para reconstrução do País no pós-pandemia.

O MDB tem a maior bancada da Casa, com 13 integrantes. De acordo com o critério da proporcionalidade partidária, por tradição, a presidência do Senado deveria ser ocupada pelo MDB.

Há dois anos, quando Davi Alcolumbre (DEM) ganhou a eleição, o MDB havia rachado na disputa entre Renan Calheiros e Simone Tebet. Agora, o partido entende que a quebra do critério da proporcionalidade novamente poderá comprometer a independência do Senado. “Não ter proporcionalidade, significa transformar o Senado em balcão de negócios. Isso não é saudável para a democracia”.