“A mulher vai entrar cabisbaixa e vai sair assistida”, diz Simone sobre a Casa da Mulher Brasileira

A senadora Simone Tebet considerou um marco na luta contra a violência doméstica a inauguração da primeira Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande na última terça-feira (3). Ela teve participação ativa, acompanhando o projeto que trouxe a instituição para a capital sul-mato-grossense. A Casa reúne serviços de assistência jurídica e psicossocial, delegacia 24 horas e capacitação para garantir emprego e renda. “A mulher vai entrar cabisbaixa e vai sair assistida e segura para uma nova vida”, disse Simone.
A Senadora não pôde participar da inauguração da Casa por causa da eleição da Mesa Diretora do Senado nesta terça-feira, e da sessão de votações, que tem oito itens na pauta.

Simone ressaltou o seu engajamento durante a construção primeira Casa da Mulher Brasileira. “Foram vários meses de obras. Fiz questão de acompanhar o projeto desde seu inicio até a vistoria junto com a Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci”, lembrou. Simone ainda lamentou sua ausência na cerimônia de inauguração. “Infelizmente compromissos como senadora me impossibilitaram de participar do evento. Mas sinto-me muito orgulhosa e feliz de saber que a capital do meu Estado será a primeira a contar com a estrutura da Casa da Mulher”, disse. Segundo o mapa da violência de 2012, o Mato Grosso do Sul está em quinto lugar no ranking de violência a mulher entre os Estados brasileiros em relação a sua população.

A senadora sul-mato-grossense ainda ressaltou a necessidade de o país atuar mais no combate à violência contra a mulher e lamentou a alta incidência da agressão doméstica no Brasil e em Mato Grosso do Sul. Por outro lado, ela destacou as conquistas e lembrou a sua atuação na área: “Durante os últimos quatro anos, enquanto estive à frente da vice-governadoria, tivemos vários avanços no combate à violência contra a mulher, como a criação da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para Mulheres, e campanhas importantes que motivaram o aumento no número de denúncias”, afirmou a senadora.

Assessoria de Imprensa

Tags