Para Simone Tebet, a legião de miseráveis no Brasil é um sinal de que está tudo muito errado

Ela defende priorizar o combate à fome.

A pré-candidata à presidência da República, Simone Tebet, disse que o aumento da fome e da miséria no Brasil é um sinal de que “está tudo muito errado”. Ela reconhece o agravamento da crise econômica e social devido à pandemia de coronavírus, mas lamenta a condução equivocada do governo para a superação dos problemas mais imediatos do País.

“As pessoas estão lutando por sobrevivência. A fome e a miséria nunca foram tão grandes no Brasil. 45% dos brasileiros (110 milhões de pessoas) têm algum tipo de insegurança alimentar leve, média ou severa. Temos uma legião de brasileiros que ficam até um dia sem se alimentar, cinco milhões de crianças dormem com fome. Temos pessoas que vão ao açougue brigar por ossos, num sinal de que está tudo errado no Brasil. Falta o mínimo para poder chamar o brasileiro de cidadão”, disse.

Lançada como a única mulher pré-candidata, até o momento, ela já deixou bem claro que levará o olhar social aos debates durante a campanha. Simone começou a conversar com lideranças políticas de outros partidos. Esta semana teve reuniões com o presidente do PSL, futuro União Brasil, Luciano Bivar, e foi a São Paulo, onde se encontrou com o governador João Doria (PSDB) e o pré-candidato do Novo, Luiz Felipe D´Ávila, sempre acompanhada do presidente do seu partido, Baleia Rossi.  Ela também se encontrou com o prefeito da capital paulista, Ricardo Nunes. 

Simone Tebet rechaça, no momento, falar sobre a possibilidade de ser indicada como vice em alguma chapa da terceira via. Esta semana, em entrevista ao UOL News, ela disse: “não é demérito ser vice, mas não me tratem diferente: sou pré-candidata à presidência”. Para ela, é momento de todos se lançarem para que a população conheça os postulantes e suas propostas e comece a formar opinião diante das opções. “A 3ª via não pode ter rosto nome, nome e sobrenome. É hora de todos colocarem o bloco na rua e sentirmos, a partir de março, quem continuará pelo caminho”, disse.

Tags