Para Simone Tebet, falta de visibilidade é o maior desafio da mulher na política

Foto: Jonas Silva

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse que o maior desfio das mulheres na política é a falta de visibilidade. “Nós mulheres sabemos que, por sermos minoria (na representatividade política), temos de ter coragem redobrada. Precisamos ter mais mulher na política para transformarmos não só a vida das mulheres, mas para transformarmos – para melhor – a vida da maioria da população brasileira”, disse em entrevista ao programa Tribuna Livre, da Rádio Capital, nesta segunda-feira (8), Dia Internacional da Mulher.

“Essa questão da visibilidade é algo que nós precisamos trabalhar”, afirmou ao lamentar que “em pleno século XXI, ainda temos mulheres ocupando espaços de poder pela primeira vez, isso por falta de visibilidade”. Simone é um exemplo disso. Em sua trajetória política, foi a primeira mulher a ocupar diversos cargos públicos, como a prefeitura de Três Lagoas-MS, a vice-governadoria de MS, a presidência da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, entre outros.

A senadora ressaltou que apesar de a mulher ser maioria da população brasileira, as vozes na política ainda são, em sua grande maioria, masculinas. “Somos apenas 15% na política, então precisamos avançar com legislações para permitir que mais mulheres possam estar fazendo política porque homens e mulheres juntos têm a capacidade de transformar a sociedade”, disse.

Simone é autora de um projeto que estipula cota mínima de 30% para cada gênero, seja na direção, no assessoramento ou no apoio de órgãos partidários, bem como nos institutos e fundações. O objetivo é dar poder de decisão às mulheres nas estruturas dos partidos políticos e garantir voz ativa a elas na escolha das futuras candidatas, com um olhar mais atento àquelas que tenham liderança e reais chances de vencer as eleições.  O PL 4.391/2020 ainda prevê percentual maior nos órgãos partidários de Juventude, de 50% para cada sexo.