“Pedro Simon é exemplo, é ação”, diz Simone Tebet em Plenário ao celebrar os 90 anos do ex-senador

A presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS), homenageou o ex-senador Pedro Simon, no Plenário do Senado, nesta terça-feira (4), pelo aniversário de 90 anos de idade. Em seu voto de louvor, ela afirmou que Simon foi um “grito pela liberdade e pela democracia” nos momentos mais sensíveis da política brasileira. “Ele não só vivenciou, ele foi protagonista da história dos últimos 60 anos. Não poderíamos imaginar como seria o Brasil sem figuras como Pedro Simon, Tancredo Neves, Teotônio Villela, entre tantos”.

A senadora ressaltou a importância da participação combativa e honesta de Simon ao longo das últimas seis décadas. Diretas Já, anistia, redemocratização e o combate à corrupção por meio de CPIs do Congresso, como a CPI do Orçamento e a CPI dos Bingos, foram alguns dos exemplos citados por Simone. “A CPI dos Bingos, a chamada de CPI do ‘Fim do Mundo, foi a primeira entre tantas. Não foi o ‘fim do mundo’, foi início de um novo Brasil. De novos tempos”, declarou ao dizer que hoje é possível ver ao lado dos chamados ladrões de galinha, corruptos e corruptores de colarinho branco também sendo julgados e condenados. A importância do apoio de Simon à Lei da Ficha Limpa também foi destacada por Tebet.

“Pedro Simon foi não só uma voz, foi um grito contra o desespero, a desigualdade social, a fome, a miséria… foi um grito contra a dor nas filas dos hospitais, foi o grito das masmorras dos tempos em que, com outros gritos, se calavam vozes”, disse.

Luta contra a corrupção
Simone Tebet comentou sobre a sua participação no evento “Pedro Simon: 90 anos, uma trajetória de luta”, realizado pelo MDB do Rio Grande do Sul, no último sábado (1), com cerca de mil pessoas. “Ali eu vi um evento de cinco horas onde as pessoas não saíram em nenhum momento, apesar do calor e da simplicidade, porque assim é Pedro Simon. Ali eu vi um senhor de 90 anos, falar durante mais de uma hora. Há maus e bons políticos. Entre os bons, há os melhores. Entre os melhores, há Pedro Simon”, disse.

No evento, a senadora destacou a importância de Simon na luta contra a corrupção e o fisiologismo, traduzido pelo ‘toma lá dá cá’ das emendas parlamentares e da indicação de apadrinhados políticos em cargos públicos. Ela disse que Pedro Simon foi o precursor de movimentos contra a corrupção e a impunidade.

“Pedro Simon é um precursor, é exemplo, é ação. No alto dos seus 90 anos, ele não está em casa descansando, ainda faz política todos os dias, ainda conclama os brasileiros, especialmente os jovens, à construção de um país mais justo, ético e democrático”.

A senadora ainda disse que esteve no evento do MDB-RS, falando em nome do seu falecido pai, ex-senador Ramez Tebet. Emocionada, disse que enquanto compartilhava a história de luta de Simon imaginava o assobio de seu pai pelos corredores do Senado. “Senador Pedro Simon, a sua voz e a voz do meu pai são as vozes que me inspiram no Sendo Federal”.

Para a presidente da CCJ, Simon cumpriu a maior das missões: “porque hoje a sua voz faz eco nas ruas, nas redes sociais. Não fossem essas poucas vozes, hoje, nós ainda estaríamos prendendo apenas o pequeno ladrão, deixando passar os grandes corruptos e corruptores que germinam a fome, a miséria e a desigualdade social. Avançamos e hoje podemos falar que temos vitórias no combate à corrupção e à impunidade”, reconheceu.

O discurso foi aparteado pelos senadores Espiridião Amin, José Pastore e Elmano Ferrer e Lasier Martins. Lasier anunciou que apresentou requerimento para realizar sessão especial para homenagear Simon no Senado.

Assessoria de imprensa