Brasil trilha caminho de responsabilidade fiscal com compromisso social, diz Tebet a empresários na Espanha | Simone Tebet
Simone Tebet Simone Tebet

A nova esperança
do Brasil

Brasil trilha caminho de responsabilidade fiscal com compromisso social, diz Tebet a empresários na Espanha

Em evento promovido pela Fundação Conselho Espanha-Brasil, a ministra destaca queda dos juros, inflação sob controle, acordo Mercosul-UE, encaminhamento da reforma tributária e Novo PAC

O Brasil está trilhando um caminho de responsabilidade fiscal com compromisso social que já abriu espaço para queda dos juros e retomada do crescimento com inflação sob controle. Esse foi o resumo das grandes mudanças do Brasil ao longo dos primeiros oito meses do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, apresentou para empresários espanhóis durante almoço de trabalho na Casa da América, em Madri. O evento foi organizado pela Fundação Conselho Espanha-Brasil, entidade privada sem fins lucrativos, que promove e apoia ações com o objetivo de ampliar e aprofundar as relações bilaterais entre os dois países. O embaixador do Brasil na Espanha, Orlando Leite Ribeiro, também participou do encontro.

Tebet acrescentou outras três “boas notícias” nas palavras dos próprios empresários: a reforma tributária deve ser aprovada, o Brasil e os demais sócios do Mercosul mantêm firme interesse na conclusão do acordo Mercosul-União Europeia e o novo PAC embute possibilidades de investimentos de R$ 1,7 trilhão nos próximos anos, dos quais R$ 700 milhões são projetos das estatais e os demais representam oportunidades de negócios para diferentes setores. “Este PAC olha para o setor privado como parceiro para o desenvolvimento do Brasil”, disse a ministra, listando concessões e parcerias público-privadas e apontando o compromisso com o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos. Entre os participantes do almoço estavam representantes de diferentes empresas que já investem no Brasil na área de infraestrutura e serviços, como Acciona, Repsol, Iberdrola, Telefónica. Arteris e Indra, além de Santander e Mapfre.

Tebet explicou que o novo regime fiscal traz o compromisso do governo em zerar o déficit fiscal em 2024. Ela garantiu que, além de repor receitas que foram artificialmente retiradas pelo governo anterior, o governo também vai “fazer o dever de casa”. “Este ano foi o ano de repor políticas públicas que foram abandonadas e deixadas sem reajuste, como a merenda escolar e o farmácia popular. Por isso este não é o ano de falar em cortes, mas em qualidade do gasto público. Para o próximo ano, com apoio do presidente Lula e dos demais ministros da Junta Orçamentária, vamos cortar o que não é eficiente para garantir o déficit zero”, disse a ministra para os empresários.

Tebet também lembrou que no começo do ano falava-se em crescimento de 0,9% e agora as projeções já apontam para uma alta de 3% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2023, em um cenário de inflação abaixo de 5% e deflação no preço dos alimentos. O economista-chefe global do Santander, Juan Cerruti, reconheceu que a instituição foi uma das que se surpreenderam positivamente com o crescimento do Brasil, pois mantinha uma previsão de crescimento de cerca de 1%.

Um dos assuntos que geraram maior número de perguntas entre os empresários foi o acordo União Europeia-Mercosul. Tebet contou que o Brasil e os demais membros do bloco entregaram uma carta de duas páginas aos europeus reafirmando o interesse no acordo, e que as delegações brasileira e europeia estão intensificando as negociações. “Os países do Mercosul têm interesse no acordo. Não é fácil, mas é possível. O presidente Lula quer assinar esse acordo o mais rápido possível”, afirmou a ministra do Planejamento e Orçamento.

Sobre as exigências ambientais, Tebet ponderou que a própria ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, de cujo compromisso radical com a proteção ambiental ninguém duvida, apontou que há demandas adicionais que foram colocadas que são impossíveis de serem cumpridas, enquanto outras podem ser cumpridas. “Precisamos ter clareza que não vamos preservar a floresta sem não oferecermos alternativas de desenvolvimento sustentável para a população que vive na Amazónia”, disse ela, lembrando que são 40 milhões de pessoas em toda a região, sendo 28 milhões no Brasil.

WhatsApp Image 2023-09-16 at 12.31.19 (1).jpeg

Com um investimento acumulado de 65,2 bilhões de euros, o Brasil é o segundo destino mundial de investimentos espanhóis. Para o Brasil, a Espanha é o segundo principal investidor, atrás apenas dos Estados Unidos. Essa parceria foi lembrada por Ana Esmeralda Martinez, diretora-geral de Diplomacia Econômica do Ministério de Assuntos Exteriores. União Europeia e Cooperação da Espanha. A volta do Brasil ao cenário multilateral, disse ela, é importante não apenas porque o país é um grande parceiro bilateral da Espanha, mas pelo peso do Brasil no cenário geopolítico mundial. E ela ressaltou a importância de um governo, no Brasil, que entenda que é impossível falar em desenvolvimento quando os resultados econômicos não abrangem resultados sociais que beneficiem a população.

Empresas como Acciona, Arteris, Repsol e Iberdrola, entre outras, destacaram o aumento de investimentos em projetos sustentáveis no Brasil, alguns deles na área de energia solar e/ou eólica, e elogiaram as primeiras informações sobre o Plano de Transformação Ecológica do governo.
No encerramento, Jesús Martínez Castellanos, CEO da Mapfre para América Latina, ressaltou as boas notícias trazidas pela ministra Simone Tebet, como a retomada do crescimento, a inflação controlada, o compromisso com a responsabilidade fiscal, o interesse mantido no acordo EU-Mercosul e as novas oportunidades de investimento com o PAC.

+ Notícias

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A comitiva do governo federal realizou ainda uma visita técnica ao porto de Tabatinga no Amazonas O Acre, um dos Estados mais isolados do país…

leia mais
Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Em evento em Boa Vista, MPO debate projeto das rotas Sul-Americanas com autoridades e empresários de Roraima O Ministério do Planejamento e Orçamento deu sequência,…

leia mais
Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Assinatura do documento ocorreu nesta quinta (28/3), em Brasília, e prevê o desenvolvimento de atividades relacionadas aos temas de financiamento externo, gênero e sustentabilidade Durante…

leia mais
Simone Tebet

Quem é Simone Tebet