Reuniões com sete ministros da América do Sul marcam nova fase do projeto das Rotas da Integração | Simone Tebet
Simone Tebet Simone Tebet

A nova esperança
do Brasil

Reuniões com sete ministros da América do Sul marcam nova fase do projeto das Rotas da Integração

Tebet e delegação debateram o projeto com Argentina, Peru, Equador, Colômbia, Uruguai, Chile e Paraguai e presidentes de BID, CAF e Fonplata

A segunda fase do projeto de Integração Sul-Americana ganhou forte impulso durante a Assembleia Anual dos Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que termina nesse domingo, em Punta Cana, da República Dominicana. A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, e a delegação brasileira apresentaram e debateram as cinco rotas de integração em reuniões bilaterais ou trilaterais com sete ministros da região (Argentina, Peru, Equador, Colômbia, Uruguai, Chile e Paraguai), com os presidentes dos bancos de desenvolvimento regional (BID e CAF-Banco de Desenvolvimento da América Latina e Caribe), além de representantes da Agência de Desenvolvimento da Suécia (SIDA) e de outros países, entre eles Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Coreia e Espanha.

“Esses encontros marcam o aprofundamento do diálogo do Brasil com nossos parceiros da região. Cada um deles com as rotas que fazem mais sentido para o desenvolvimento da sua economia e gere mais qualidade de vida para a população dos seu país, demonstraram muito interesse no projeto. Ouvimos, debatemos, e agora vamos intensificar as visitas aos países e pontos importantes das rotas, como faremos nesta segunda-feira, na visita ao Porto de Chancay que está sendo construído no Peru”, disse a ministra Tebet.

“Para o Brasil, um comércio maior, mais ágil, com a redução do tempo de comércio com a Asia, significa mais emprego, mais renda, mais comida na mesa dos brasileiros”, Tebet.

Nos encontros também ficou evidente, disse Tebet, a importância do suporte financeiro que organizado pelo Brasil e os bancos regionais de desenvolvimento para a execução das rotas de integração nos demais países da América do Sul. São US$ 10 bilhões para o projeto de integração, sendo US$ 7,5 bilhões de BID, CAF e Fonplata para a região e US$ 2,5 bilhões do BNDES para obras no Brasil. Nas bilaterais, a ministra esteve acompanhada da secretária de Assuntos Internacionais e Desenvolvimento (SEAID), Renata Amaral, e o secretário de Articulação Institucional, João Villaverde.

O ministro da Fazenda da Colômbia, Ricardo Bonilla, disse, na reunião bilateral, que seu país tem como prioridade a revitalização da rodovia panamericana na Colômbia, pois essa estrada está em ótimo estado no Equador e no Peru, mas necessita de investimento no seu país. “Queremos nos integrar na rota 2 do MPO a partir da revitalização dessa rodovia”, disse ele, mencionando também ou uma ligação fluvial vinda do norte da Colômbia para chegar ao Solimões. Em abril, os ministros devem se reencontrar durante a visita do presidente Luiz Inacio Lula da Silva à Colômbia.

Na sequência o encontro bilateral foi com a delegação da Argentina. Tebet lembrou que a Argentina é um parceiro estratégico, sendo o terceiro principal destino dos produtos brasileiros. O ministro da Economia argentino, Luiz Caputo, que desde fevereiro também incorporou a pasta de Infraestrutura, demonstrou muito interesse na Rota 4 (que passa pelo Norte de seu país) e pela Rota 5, (Rio Grande do Sul, no Brasil, Uruguai e Argentina), mas relatou a precariedade geral da infraestrutura argentina. Ele reforçou o diagnóstico que a equipe do MPO já fez de que a Rota 5, ao contrário das demais, já existe, mas precisa ser fortemente modernizada e revigorada.

Tebet e sua equipe também mantiveram encontros específicos sobre as rotas com o presidente do BID, Ilan Goldfajn, que citou as rotas de integração como uma prioridade em seu discurso perante todos os governadores do BID; com Sérgio Diaz-Granados, presidente da CAF; e Luciana Botafogo, do Fonplata. Para Amaral, o apoio financeiro de US$ 10 bilhões que os bancos regionais de desenvolvimento separaram para apoiar os projetos de integração da infraestrutura sul-americana, serão fundamentais para fazer essa agenda de integração na América do Sul avançar, pois muitos ministros ressaltaram a importância desse suporte para darem andamento às obras e também para o desenho dos projetos.

“As Rotas de União, elaboradas pelo MPO, entraram na agenda de trabalho dos ministros de Finanças sul americana e dos três bancos multilaterais de nossa região: BID, CAF e Fonplata. As reuniões que realizamos junto da ministra Simone Tebet com os ministros de seis países vizinhos e com os bancos foram todas baseadas nos esforços conjuntos para estruturação de projetos e para financiamento das ações de infraestrutura relacionadas as cinco rotas de integração entre o Brasil e a região”, afirmou a secretária Renata Amaral.

A terceira bilateral da América do Sul foi com o Equador. “A rota Manta-Manaus é simplesmente fundamental para nosso país. O porto de Manta pode ser o motor de desenvolvimento para o Brasil e os demais países da região”, disse o ministro de Economia e Finanças, Juan Carlos Vega. Ele também ressaltou o intercâmbio comercial entre os dois países e a oportunidade de financiamento para exportações de bens de capital do Brasil, especialmente máquinas agrícolas e para construção.

O ministro de Finanças e Economia do Peru, José Arista Arbildo, além de mostrar entusiasmo pela Rota 3 (com múltiplas saídas do Brasil, via Acre e Rondônia pelo Peru, e Mato Grosso, via Bolívia). mencionou também uma saída hidroviária pela Rota 2, que também pode desembocar no Porto de Pucalpa, no norte do Peru, mas estimulou muito o Porto de Chancay, que está sendo construído pela iniciativa privada e pretende reduzir para cerca de 15 dias o tempo de transporte de mercadorias entre o continente sul-americano e a Ásia. No final da tarde de sábado, ocorreram as bilaterais com a ministra da Economia do Uruguai, Azucena Arbeleche; com o ministro da Fazenda do Chile, Mário Marcel.

Tebet e a delegação do MPO ponderaram que a integração visa não apenas o comércio, mas também o turismo, integração energética, entre outras. “Temos tudo para consumir mais entre nós”, disse Tebet, na conversa com o Uruguai. A ministra Azucena destacou a importância do comércio intrarregional entre os países do Mercosul e destacou que os países precisam trabalhar juntos em ações de aduana e desembaraço das mercadorias. Com o Chile, Tebet reforçou que, com a integração, os portos do Chile passarão a ser importante s pontos para o escoamento da produção do Centro-Oeste brasileiro, pois será possível encurtar em até em até sete mil quilômetros ou 20 dias o comércio com a Ásia.

CONHEÇA AS CINCO ROTAS

1) Rota da Ilha das Guianas, que inclui integralmente os estados de Amapá e Roraima e partes do território do Amazonas e do Pará, articulada com a Guiana, a Guiana Francesa, o Suriname e a Venezuela;
2) Rota Multimodal Manta-Manaus, contemplando inteiramente o estado Amazonas e partes dos territórios de Roraima, Pará e Amapá, interligada principalmente por via fluvial à Colômbia, Peru e Equador;
3) Rota do Quadrante Rondon, formado pelos estados do Acre e Rondônia e por toda a porção oeste de Mato Grosso, conectada com Bolívia e Peru;
4) Rota de Capricórnio, desde os estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina, ligada, por múltiplas vias, a Paraguai, Argentina e Chile; e
5) Rota Porto Alegre-Coquimbo, abrangendo o Rio Grande do Sul, integrada à Argentina, Uruguai e Chile.

Fonte: MPO

+ Notícias

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A comitiva do governo federal realizou ainda uma visita técnica ao porto de Tabatinga no Amazonas O Acre, um dos Estados mais isolados do país…

leia mais
Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Em evento em Boa Vista, MPO debate projeto das rotas Sul-Americanas com autoridades e empresários de Roraima O Ministério do Planejamento e Orçamento deu sequência,…

leia mais
Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Assinatura do documento ocorreu nesta quinta (28/3), em Brasília, e prevê o desenvolvimento de atividades relacionadas aos temas de financiamento externo, gênero e sustentabilidade Durante…

leia mais
Simone Tebet

Quem é Simone Tebet