Simone Tebet defende prioridade à segurança nas fronteiras | Simone Tebet
Simone Tebet Simone Tebet

A nova esperança
do Brasil

Simone Tebet defende prioridade à segurança nas fronteiras

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) lamentou a violência no Brasil, que mata quatro vezes mais que o Afeganistão. Ela ressaltou o problema vivenciado nas regiões de fronteira, devido ao tráfico de drogas, armas, de pessoas, prostituição infantil, descaminho e contrabando. Simone também constatou que a violência urbana, antes comum principalmente nos grandes centros urbanos, já chegou a cidades pequenas.

“Ponta Porã (MS), tem o dobro de taxa de homicídio que o Rio de Janeiro”, constatou, criticando o corte orçamentário no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron).
Em 2011, quando foi criado, o Sisfron previa aplicação anual de R$ 12 bilhões ao longo de 10 anos. Em 2017, o programa recebeu cerca de R$ 270 milhões. Simone citou dados do Comando Militar do Oeste que estimam que o aumento de 1,5% na eficácia do Sisfron – o que implicaria no investimento de mais recursos – geraria economia de R$ 1,5 bilhões aos cofres públicos por ano. Ela ressaltou, ainda, que segundo o IPEA, o custo anual da violência corresponde a 5% do PIB.

Corredor do tráfico
Segundo dados da ONU, o Mato Grosso do Sul é o maior corredor do tráfico da América do Sul. Em 2016, foram apreendidas duas mil toneladas de drogas. Destas, 25% em MS. Ou seja, a cada quatro quilos de drogas, um quilo passa pela BR 463 (Ponta Porã/Pedro Juan Caballero).

“Tenho convicção de que é preciso priorizar a fronteira na Política Nacional de Segurança Pública. Não podemos continuar com este cenário de terra arrasada, com MS como o maior corredor do tráfico da América do Sul”, disse.
A CCJ realizou audiência pública nesta terça-feira (19) para debater a Política Nacional de Segurança Pública. Participaram do debate o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carreiro; o secretário de Controle Externo da Defesa Nacional e da Segurança Pública do TCU, Egbert Buarque; e do assessor da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Alexandre Araújo Motta. Ele admitiu que não existe uma política de segurança pública bem definida e defendeu a criação de um fundo para financiar o setor.

Levantamento do TCU destacou que a União tem assumido cada vez menos obrigações no setor, com maior ônus sobre estados e municípios.
A audiência contribuiu para o processo de avaliação de políticas públicas relacionada à Segurança Pública. Outras três reuniões com esta temática ainda serão realizadas.

Assessoria de Imprensa

Compartilhe
TAGS

+ Notícias

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A transformação da economia será gigante, afirmou Tebet em plenária de discussão das Rotas de Integração Sul-Americana

A comitiva do governo federal realizou ainda uma visita técnica ao porto de Tabatinga no Amazonas O Acre, um dos Estados mais isolados do país…

leia mais
Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Fronteiras são sinônimo de solução, diz Tebet, em plenária sobre as rotas de integração

Em evento em Boa Vista, MPO debate projeto das rotas Sul-Americanas com autoridades e empresários de Roraima O Ministério do Planejamento e Orçamento deu sequência,…

leia mais
Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Ministério do Planejamento e Orçamento e Governo Francês assinam Memorando de Entendimento

Assinatura do documento ocorreu nesta quinta (28/3), em Brasília, e prevê o desenvolvimento de atividades relacionadas aos temas de financiamento externo, gênero e sustentabilidade Durante…

leia mais
Simone Tebet

Quem é Simone Tebet