Simone Tebet quer frente parlamentar pela vacinação contra covid-19

Plenário do Senado durante reunião preparatória destinada à eleição dos demais membros da Mesa do Senado Federal para o segundo biênio da 56º Legislatura. A eleição é realizada por escrutínio secreto, de acordo com o Regimento Interno do Senado Federal, por meio de cédulas não identificadas. Em destaque, senadora Simone Tebet (MDB-MS). Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

— [Seria] Uma frente do Congresso Nacional para que estejamos dentro da sala do ministro da Saúde para ver o que está travando [a vacinação]. É só insumo? Onde estão esses insumos? Precisa de alguma outra lei para ser aprovada em 24 horas para que a gente possa conseguir esses insumos? Vamos colocar na mão de todos os laboratórios? Vamos abrir ou não para os laboratórios privados que querem comprar e dar de graça metade para o SUS [Sistema Único de Saúde]? — disse a senadora, em entrevista à Rádio Senado, ao explicar o que a frente poderia fazer e discutir.

Segundo Luiz Gustavo de Almeida, microbiologista da Universidade de São Paulo (USP), a falta de imunizantes pode levar o Brasil a demorar quatro anos para vacinar toda a população acima dos 18 anos contra a covid-19.

Como possibilidade de ação para que a vacinação aconteça mais rapidamente, Simone citou a iniciativa de empresários que queriam adquirir cerca de 33 milhões de doses do imunizante do laboratório da AstraZeneca e doar metade para a rede pública de saúde. Segundo ela, uma lei poderá detalhar esse tipo de iniciativa (e até mesmo a oferta das vacinas na rede privada para atender aos grupos que não são prioritários).

— Nós temos que buscar e aceitar as vacinas que nos estão sendo oferecias sem ideologia e sem negacionismo — acrescentou.

Fonte: Agência Senado