Simone Tebet solicita quitação da dívida com os fornecedores da UFN3

 

A bancada federal de Mato Grosso do Sul e o governador Reinaldo Azambuja reuniram-se, nesta sexta-feira (10), com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, em São Paulo, para tratar da crise do gás devido à perda na arrecadação do ICMS do gasoduto GasBol. A conclusão da obra da Fábrica de Fertilizantes de Três Lagoas, a UFN-3, e a venda do empreendimento também foram temas do encontro.
Na ocasião, a senadora Simone Tebet (PMDB-MS) ressaltou a importância de se incluir o passivo do Consórcio UFN 3 com os fornecedores da obra. O montante é de mais de R$ 36 milhões.

“A dívida com os empresários locais se arrasta desde 2014, quando a Petrobras rompeu o contrato com o Consórcio UFN3, prejudicando a economia de Três Lagoas”, alertou a senadora Simone Tebet. Ela ressaltou que a fábrica foi concebida para tornar o Brasil autossuficiente na produção de fertilizantes e que a falta de pagamento dos fornecedores locais têm gerado um problema social para a região de Três Lagoas.

Além da senadora Simone Tebet e do governador, participaram da reunião os parlamentares do PMDB: senadores Waldemir Moka e Pedro Chaves (PSC), o deputado federal Geraldo Rezende e o presidente da Assembleia, Junior Mochi.

Negociações
A obra da fábrica de fertilizantes nitrogenados da Petrobras, em Três Lagoas, deve ser retomada em poucos meses após a conclusão do acordo com o novo consórcio, formado por empresas chinesas, entre elas, a Sinopec Petroleum, que já integrava o antigo consórcio.

A expectativa é de que a retomada da obra demande a contratação de sete mil trabalhadores. Além disso, as tratativas são para que esse novo consórcio fique responsável pelo pagamento da dívida com os fornecedores de Três Lagoas.

Segundo a Petrobras, 82% da fábrica já estão concluídos. O investimento até agora foi de cerca de R$ 3,2 bilhões.

Assessoria de Imprensa